Métodos Aplicados

  Vídeos   Facebook da Trovisca

MUDE A SUA LINGUAGEM: QUATRO PALAVRAS QUE O TORNAM MAIS FRACO

07-09-2020

Se parar para observar as palavras que as pessoas mais utilizam, consegue aprender imenso acerca do que se passa nas suas mentes. As suas palavras também contam uma história. Ao ouvir e analizar as palavras que utiliza constantemente, poderá parar com a programação inconsciente que limita a sua performance.

 


Muitas vezes utilizamos certas palavras limitantes mesmo antes de pensarmos nelas. O nosso subconsciente utiliza palavras "seguras" que fazem com que coisas sem importância se transformem num problema enorme, ou permitem com que procrastinemos. Há quem dê o nome a estas palavras de "palavras doninhas".

 


Estes são exemplos de palavras que o tornam fraco e que muito provavelmente utiliza bastantes vezes durante o dia mesmo sem notar:

 


- Precisar / Ter de
- Não posso / consigo
- Mau
- Tentar

 

 


Preciso / Tenho de

 


Os pais utilizam muito o "tens" quando falam com os seus filhos. "Precisamos de ir, tens de vestir o teu casaco."

 


Na verdade, você não tem de ir e não precisa do casaco. A sua mãe provavelmente queria sair,  e provavelmente você iria ter frio de não vestisse o casaco, mas "precisar" não é o termo correto. Quando você diz na sua cabeça que precisa de algo quando a realidade é que você apenas quer algo, o que acontece é que está a transformar um desejo num problema de sobrevivência em que o cérebro primitivo acredita que você realmente PRECISA de algo para viver.

 


Tente passar uma semana sem utilizar a palavra "preciso". Você irá sentir a tentação de utilizar a palavra, mesmo quando lhe parece que realmente necessita de a dizer, mas talvez não seja bem verdade. Por exemplo, você poderá dizer que "precisamos sair de casa agora se queremos chegar à loja antes que ela feche." Mesmo assim, esta é uma forma limitada de pensamento. E se ligar à loja e questionar se será possível ficaram abertos alguns minutos mais tarde?

 


Ao utilizar a palavra "preciso", você está a colocar uma caixa inconsciente à volta da solução, limitando a creatividade.

 

 


Não posso / consigo

 


O "não posso" ou "não consigo" são o conjunto de palavras mais destrutivos que você pode utilizar. Quando você diz isto, está a querer dizer que não existe absolutamente nenhuma forma possível, roubando assim o seu poder e esmagando a inovação e criatividade. Quando você diz "não consigo fazer isso", você está a dizer ao seu sistema nervoso que não existe nenhuma forma de o fazer, causando assim uma sensação de incompetência. O que você realmente quer dizer é: 1) Gostaria de ter alguma ajuda para o fazer, 2) Não tem as ferramentas necessárias para o fazer, ou 3) Não sabe como o fazer. Se tiver os recursos suficientes, é muito pouco provável que não consiga de facto fazer algo.

 


Para o seu cérebro consciente, é obvio que quando diz "não consegues," é porque realmente necessita algo para que o possa fazer. No entanto isto não é assim tão óbvio para o inconsciente porque esta parte do cérebro não entende o contexto; no entanto, ele continua a ouvir as palavras que utiliza. Quando você fala, o inconsciente das outras pessoas também o ouvem. Esta falha de comunicação entre as duas partes do seu cérebro cria confusão e um stress subtil. Faça por utilizar palavras que tenham o mesmo significado para as duas partes do cérebro, e irá tornar-se numa pessoa mais calma e capaz.

 


Infelizmente os "não podes" ou "não consigues" são colocados no seu inconsciente muito cedo na infância, porque os país muitas vezes dizem "não podes fazer isso". O que na verdade eles queriam dizer era "Se tu fizeres isso vais-te magoar ou vais sujar tudo", etc. O mesmo acontece quando dizemos "Não consigo fazer isto sem ter A, B, ou C.". Ao dizer ao nosso sistema nervoso que apenas é possível fazer algo que estivermos em alguma circunstância especial, também estamos a limitar a criatividade. Uma forma melhor de o dizer seria "Eu não sei como fazer isso a não ser que tenha A, B ou C".

 


Experimente. Passe uma semana sem utilizar estas palavras. Poderiamos dizer "Aposto que não consegue", mas neste caso uma forma ainda melhor de o dizer seria "Aposto que irá ser bastante difícil até que comece a praticar!"

 

 


Mau

 


Esta é mais uma palavra que é colocada na nossa mente mesmo antes de termos uma hipótese de pensar sobre ela. Na realidade, muito poucas coisas são realmente "más", e mesmo ao dizer que elas são "más" estámos a fazer um julgamente segundo o nosso ponto de vista. Ao forçar um julgamente binário, onde algo ou é bom ou é mau, está a limitar o alcance do seu pensamento. Por exemplo, poderá dizer "Eu estava a planear um picnic, e agora está a chover, que mau...". Ao dizer isto, está automaticamente a não pensar que a chuva poderá estar a ajudar a apagar algum fogo ou a impedir uma seca. Você não ganha nada ao decidir que algo é bom ou mau.

 


Imaginemos uma dieta por exemplo. Em vez de dizer-mos que um alimento é bom ou mau, devemos perceber que alguns alimentos são mais favoráveis do que outros. No entanto é verdade que um hambúrguer de soja cheio de glúten é sempre melhor do que morrer de fome. Novamente, não é um mau alimento, simplesmente não é tão bom quanto poderá ser.

 

 


Tentar

 


"Tentar" é uma espada com duas pontas. Por um lado, nós queremos que as nossas crianças aprender algo, que o pratiquem, e que continuem a "tentar". Esta é uma forma natural e saudável de falar com as crianças, mas é possível fazer melhor. A palavra em si não é das melhores porque quando dizemos "tentar" estamos a pressupor a possibilidade de falhar. Se alguém disser que vai tentar ir buscá-lo ao aeroporto, você estará com esperança de que realmente essa pessoa irá conseguir? De certeza que não. Você sabe que haverá possibilidade de essa pessoa não o fazer. No entanto, se alguem disser que vai buscá-lo ao aeroporto, você certamente irá acreditar. Se disser a si mesmo que irá tentar manter a dieta ou que irá tentar ler o livro, o seu subconsciente já planeou falhar.

 


"Não! Tentar não. Faça ou não faça. Tentar não há."

 


Esta frase foi dita por Yoda no filme Guerra das Estrelas, e carrega consigo muita sabedoria.

 


Este poderá parecer um artigo "inspiracional" apenas para que se "sinta bem", mas não é. Mudar a sua linguagem é algo importante, e grátis, que pode iniciar HOJE e que irá melhorar imenso a sua vida pessoal e profissional. Se pretende que o seu cérebro faça todas as coisas de que ele é capaz, então deverá incutir-lhe uma boa programação. A linguagem é parte dessa mesma programação. Use-a conscientemente e com precisão, e verá que irá alcançar e fazer coisas que nunca soube que seria capaz.

 


E então, aceita este desafio? Nos próximos sete dias, faça por não utilizar nenhuma destas palavras, pelo menos sem ponderar muito bem primeiro!


fonte: Adaptado de: Bulletproof.com e Daveasprey.com

voltar
NEWSLETTER  l  POLÍTICA DE PRIVACIDADE Copyright @ 2013 INOVAnet,lda. Todos os direitos reservados.